Translate my page

Pesquisar neste BLOG

21 de jun de 2016

Que capital cultural você está deixando a seus filhos?


"Todos nós passamos grande parte da nossa vida em instituições que nos forçam a ser alguém que não somos. Nós administramos aparências. Comprometemo-nos com a agenda da companhia. Agimos profissionalmente. Depois de algum tempo, teremos vivido tão longamente numa casa de espelhos que poderemos facilmente confundir a imagem que estamos a projetar com quem realmente somos. O poeta David Whyte cita um gerente da AT&T que escreveu: Há 10 anos atrás, eu virei o meu rosto por um momento...e isso tornou-se a minha vida." Peter Senge (2000)

Identificando Símbolos gráficos:
Do Latim “Com" – junto + “Gnoscere” – obter conhecimento, chegar a saber, teremos a formação da expressão “Cognoscere” = conhecer, saber. 

Do Latim “informatio,onis” = informação – que pode ser interpretado como: delinear, conceber ideia, dar forma ou moldar na mente.

Como podemos perceber, são dois símbolos com significados diferentes, mas que muitos crêem que seja a mesma coisa ou palavras “sinônimas”.

Como eu sempre saliento em minhas palestras e textos, entender o que cada símbolo significa na sua ETIMOLOGIA (origem de um termo quer na forma mais antiga conhecida, quer em alguma etapa de sua evolução) é fundamental para a compreensão da comunicação.

E acredite; as palavras ganharam outras “definições” com o passar dos séculos. Elas foram associadas a “símbolos visuais”, o que muda toda a maneira de interpretar o que vivenciamos e experimentamos.

Segundo estudos realizados por Luckesi (1996), adquirir conhecimentos não é compreender a realidade retendo informação, mas utilizando-se desta para desvendar o novo e avançar no entendimento do TODO e não somente a PARTE.

Informação + conhecimento são vitais nesse mundo altamente desigual e quem não as obtiver terá dificuldades em crescer e evoluir em todos os aspectos de seus objetivos.

Sendo assim, as informações facilitam no processo de cognição, mas não realizam efetivamente o conhecimento. Portanto, quanto maior a informação que obtiver sobre tudo, maior serão as chances de ligar fatos e resultados que atendam a nossa realização em qualquer área da vida.

Aprender não significa saber as respostas, adquirir informação generalista, saber o que os outros sabem, ou ser medido por provas ou notas de avaliação sobre seu “conhecimento”. O nome disto é PROGRAMAÇÂO. As escolas “programam” cérebros para fazer apenas o que lhes é facultado saber. Investir em informação fora da “grade” curricular deixará esse cérebro fora da hipnose cotidiana.

Aprender envolve a capacidade de estar continuamente analisando e melhorando a própria compreensão dos fatos. Aprender está no fazer, no praticar, no desenrolar de um problema com eficácia e eficiência.

Eficiência trata de como fazer.
Eficácia trata do que fazer, da tomada de decisão, de que caminho seguir. A partir da eficácia de um planejamento a forma produtiva leva à eficiência.


Ter conhecimento é poder.
Poder de decidir, poder de mudar as coisas, porque nosso melhor destino advém das nossas decisões assertivas.

Comunicação Efetiva
O absoluto não existe, a realidade é sempre fruto de uma interpretação subjetiva. Para se comunicar efetivamente, devemos compreender que somos todos diferentes na forma de perceber o mundo e usar esse entendimento como guia para nossa comunicação com os outros.

Somos seres diferentes, com nível maior ou menor de evolução. Nível maior ou menor de energia, informação. Essa diferença nos torna únicos, nos torna singulares na forma de vivenciar a mesma experiência e encontrar soluções diferentes para a mesma – o que só aumenta o campo de informação universal.


Nós aprendemos com o OUTRO. Precisamos do OUTRO para nossa sobrevivência e crescimento. 

O conhecimento está contido em casa ser vivo, seja ele humano ou não. Basta para isso, observar e ligar os pontinhos...

Educar
Do Latim educareeducere, significa literalmente “conduzir para fora” ou “direcionar para fora”.

Esse símbolo gráfico EDUCAR, em sua origem, orientava a mente das pessoas a serem preparadas para o “mundo lá fora”, conduzindo-as para fora de si mesmas, mostrando as diferenças que existem em todas as experiências vividas.

É interessante observar que o termo 'educação' em português possui uma conotação não encontrada na palavra education do inglês.

Enquanto que em português a palavra pode ser associada ao sentido de boas maneiras, principalmente no adjetivo “educado”, em inglês educated refere-se unicamente ao grau de instrução formal.

Perceberam a importância que damos aos símbolos gráficos e somos orientados por eles?
Para complementar meu pensamento, ofereço esses vídeos e imagens para sua avaliação... 

laura botelho

Conceito de Capital Cultural, por Pierre Bourdieu


Educação na Finlândia - fragmentos importantes de um documentário de Michael Moore


Workshop de laura botelho fala sobre:

Mentes - Entenda porque Mentes masculinas e Mentes femininas estão em uma eterna disputa. Entender como funcionam seus cérebros faz toda a diferença para diminuir os atritos.

Emoções - Ter consciência de suas emoções, identifica-las, administra-las na medida certa, na quantidade certa, é ter equilíbrio, consequentemente = saúde e auto cura.

Neurolinguística - aprenda a usar seu cérebro. Nesse momento é ele que está usando você. A Lei do Universo é clara: Se você não é capaz de gerir sua própria energia, sua consciência, então alguém o fará por você.

Física quântica - a Nova Física mudou a nossa vida, mas você não tem consciência disso. Novas perspectivas, novos pontos de vista, novas interpretações sobre nosso velho mundo.



E-mail para contato.

"o sentido da vida é quando o seu propósito e o meu propósito se cruzam, então estamos fora do espaço, fora do tempo e trabalhamos juntos de uma forma totalmente diferente que afeta não só a você ou a mim, mas o todo"