Translate my page

Pesquisar neste BLOG

13 de dez de 2013

Neuroplasticidade, uma nova re-programação


Daniel Goleman é um mestre pra mim. Seus livros permanecem na minha mesinha de cabeceira como uma Bíblia a serem sempre consultados. Goleman é autor de mais de 10 livros, psicólogo, especialista nas ciências do cérebro e um jornalista científico, algo que poucos profissionais deixam de lado após um certo reconhecimento e é justamente o que me atrai no trabalho do Goleman. 

Não podemos deixar um dia sequer a pesquisa de lado. As coisas mudam o tempo todo e estar atualizado com essas mudanças é minha prioridade, por isso acompanho o mestre.

E ele escreveu recentemente um artigo em seu LinkedIn:

“Eu ouço muitas vezes as pessoas dizerem: "Eu sou o tipo de pessoa que ..." ou "Eu não sou uma pessoa extrovertida".  Comentários que sugerem que eles estão resignados a não mudar a sua autopercepção - independentemente se é imprecisa ou autodestrutiva”

Goleman continua:
“Dr. Richard J. Davidson aborda as possibilidades do uso de nossas experiências para mudar a nossa autopercepção, e positivamente treinar os nossos cérebros”

Nota: Dr. Davison em 2008 fundou o Centro de Investigação de Mentes Saudáveis, um centro de pesquisa dedicado ao estudo das qualidades positivas, como a bondade e compaixão. Ele atua no Conselho Consultivo Científico do Instituto Max Planck para Cognição Humana e Ciências do Cérebro em Leipzig desde 2011-2017 e como Presidente da seção de Psicologia da Associação Americana para o Avanço da Ciência 2011-2013.

“O que muitas vezes é referido quando falamos dessa forma, são as diferenças que percebemos em nós mesmos, em nossas reações emocionais, a maneira como reagimos à adversidade, e o tipo de humor que muitas vezes habita. E estas são as diferenças que existem entre as pessoas. Eles fazem parte de um guarda-chuva que chamamos de 'estilos emocionais'. É uma das coisas que dá à vida um monte de cores” – comenta Dr. Davison.

Ainda complementando, ele nos mostra que ás vezes, essas variações podem ser desconfortáveis. Podem resultar em sofrimento por não mudarem suas imagens. Estas são todas as variações que estão associadas a determinados circuitos cerebrais.

A ideia da neuroplasticidade é simplesmente que o cérebro muda em resposta à experiência, em resposta a nossas ações. Muda em resposta a nossos relacionamentos. Ele muda em resposta a um treinamento específico, conclui.

Estas atividades irão moldar o cérebro, e podemos tirar proveito da neuroplasticidade e realmente desempenhar um papel mais intencional na formação de nossos próprios cérebros de maneira que possa promover a saúde, cultivando o bem-estar.

Pesquisas recentes indicam que apenas duas horas engajando-se em um jogo de vídeo pode realmente mudar estruturalmente seu cérebro. Isso ressalta quão extraordinariamente dinâmico nossos cérebros são, e constantemente sendo moldado desta maneira e de outras maneiras. 

“Na maioria das vezes nós não estamos cientes de como nossos cérebros estão sendo moldados pelas forças que nos rodeiam – chama atenção, Dr. Davison”

“As pesquisas mais recentes indicam que muitos mecanismos diferentes de neuroplasticidade persistem durante toda a vida, e um dos mecanismos mais importantes de plasticidade é o crescimento de novas células cerebrais reais”

“Um adulto médio gera algo entre 5 a 10 mil novas células a cada dia. Isso acontece ao longo da vida, até o último dia. Estas células desempenham um papel muito importante na plasticidade”


Esse é um resumo do que Dr. Davison ressalta apresentado no artigo de Daniel Goleman como uma nova escolha de perceber melhor nossas experiências, não deixando a cargo do “destino”. Podemos mudar!! Temos esse poder de escolha! E como ele mesmo frisou no inicio de texto, essa mudança DÓI, dói muito! Mas precisamos insistir.

Esse é o motivo de desistirmos na primeira tentativa – a dor da RE-programação. A neuroplasticidade é como o primeiro dia de academia após intenso exercício físico. No dia seguinte os músculos vão reclamar, o cérebro vai exigir que você pare com tal “sacrifício”, mas você terá que lembrar SEMPRE que é você que está no controle e é você quem dita as regras e todo resto se adapta naturalmente...

laura botelho.





Workshop de laura botelho fala sobre:

Mentes - Entenda porque Mentes masculinas e Mentes femininas estão em uma eterna disputa. Entender como funcionam seus cérebros faz toda a diferença para diminuir os atritos.

Emoções - Ter consciência de suas emoções, identifica-las, administra-las na medida certa, na quantidade certa, é ter equilíbrio, consequentemente = saúde e auto cura.

Neurolinguística - aprenda a usar seu cérebro. Nesse momento é ele que está usando você. A Lei do Universo é clara: Se você não é capaz de gerir sua própria energia, sua consciência, então alguém o fará por você.

Física quântica - a Nova Física mudou a nossa vida, mas você não tem consciência disso. Novas perspectivas, novos pontos de vista, novas interpretações sobre nosso velho mundo.



E-mail para contato.

"o sentido da vida é quando o seu propósito e o meu propósito se cruzam, então estamos fora do espaço, fora do tempo e trabalhamos juntos de uma forma totalmente diferente que afeta não só a você ou a mim, mas o todo"